Para uma torcida o ano de 2021 ocupará um lugar especial na memória, a do Atlético-MG. Isto porque foi neste ano que os apoiadores do Galo viram a equipe brilhar nos campos brasileiros, garantindo os títulos do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil com um futebol competitivo e envolvente.

A equipe mineira começou a dar provas de sua força ainda no primeiro semestre de 2021, quando levou para casa o troféu do Campeonato Mineiro. Porém, foi na segunda parte do ano que o time comandado pelo técnico Cuca alcançou as conquistas mais importantes. A primeira delas foi o Brasileiro, título que não festejava há 50 anos.

Mas o Galo queria mais, e alcançou a Copa do Brasil ao superar na decisão o Athletico-PR com duas vitórias incontestáveis (4 a 0 na ida, 2 a 1 na volta). Esse foi o segundo título do Atlético-MG na competição, o primeiro foi em 2014.

Nesta campanha um personagem ocupou um lugar especial, o atacante Hulk, que finalizou sua primeira temporada completa no futebol brasileiro como o artilheiro do país com 36 gols.

Domínio na América do Sul

Se o Galo mandou no Brasil, na América do Sul o Porco permaneceu ditando as regras. O Palmeiras iniciou 2021 conquistando o troféu da edição 2020 da Libertadores diante do Santos em pleno estádio do Maracanã. E o último ato do Alviverde no ano foi levantar novamente o troféu da principal competição de clubes do continente, desta vez diante do Flamengo em Montevidéu (Uruguai).

Na Libertadores feminina a Glória Eterna também foi de uma equipe de São Paulo, o Corinthians, que derrotou o Independiente Santa Fe (Colômbia) por 2 a 0 em partida disputada no estádio Gran Parque Central, em Montevidéu, para ficar com o caneco. Este foi o ápice de uma equipe que alcançou a tríplice coroa na temporada, após ficar também com os títulos do Campeonato Brasileiro e do Paulista.

Seleções em alta

A seleção brasileira teve um ano de altos e baixos em 2021. Se, por um lado, garantiu o seu principal objetivo na temporada, a vaga para a Copa do Catar, por outro sofreu um grande revés, ao perder, para a Argentina, a final da Copa América disputada em solo brasileiro.

Nas Eliminatórias a equipe comandada pelo técnico Tite mostrou força, mantendo a invencibilidade em 25 jogos (com 21 triunfos e quatro empates). Além disso, a campanha em busca da classificação para o Mundial de 2022 serviu para a equipe passar por uma pequena renovação, na qual nomes como do meio-campista Lucas Paquetá e do atacante Raphinha ganharam projeção.

Já para a seleção feminina, 2021 terminou com o primeiro título da era Pia Sundhage, iniciada em agosto de 2019. Foi o Torneio Internacional de Futebol Feminino, disputado em Manaus.

A competição foi a sexta com participação canarinha desde a chegada de Pia. No primeiro ano, o Brasil foi vice-campeão deste mesmo torneio, à época em São Paulo, superado pelo próprio Chile na final, nos pênaltis. Em seguida, a seleção foi à decisão do Torneio Internacional da China, perdendo o título para as anfitriãs, também nas penalidades. Em 2020, as brasileiras disputaram outro evento amistoso, desta vez na França, ficando na terceira posição entre quatro equipes (as francesas levaram o título).

O próximo desafio das brasileiras será novamente o Torneio Internacional da França, no período destinado a jogos de seleções femininas (Data Fifa) de 14 a 23 de fevereiro do próximo ano. Além das anfitriãs, as comandadas de Pia terão Holanda e Finlândia pela frente. Em julho, a seleção disputa a Copa América, onde pode garantir vaga na Copa do Mundo de 2023, com sede na Austrália e na Nova Zelândia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.