A Covid-19 está mudando de status na cidade do Rio de Janeiro. Em vez de pandemia vai ser considerada uma endemia. A avaliação foi feita para a Jovem Pan neste domingo, 13, pelo ainda secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz. Ele está deixando a Pasta nos próximos dias, porque se filiou ao PSD e vai ser candidato a deputado federal em 2022. Segundo Soranz, a situação da Covid-19 melhorou significativa na capital fluminense, havendo menos casos e menos óbitos. Segundo ele, é cada vez mais raro encontrar uma pessoa com Covid-19 na cidade.

O Rio de Janeiro chegou a ser epicentro da variante Delta do novo coronavírus e, no início deste ano, viveu um grande crescimento de casos provocado pela cepa Ômicron. De acordo com o secretário municipal de Saúde, apesar da mudança de status, a cidade ainda permanece atenta ao comportamento da doença. “Também é muito importante que a nossa rede de vigilância, permanentemente, monitore novas variantes de Covid-19. A gente não vai mais ter como parar esse monitoramento, ele é um monitoramento permanente agora, como acontece para várias outras doenças, então é importante os institutos de pesquisa continuarem realizando a genotipagem, para tentar identificar novas variantes. A gente precisa estar muito atento ao aumento de casos e novas variantes em qualquer local do Brasil e do mundo. Se a gente perceber um aumento em outros locais, como aconteceu com a variante Ômicron, a gente já está preparado para tomar as medidas necessárias”, afirma.

Na cidade do Rio de Janeiro não é mais obrigatório o uso de máscara de proteção facial em ambientes fechados e em locais abertos. O próximo passo é abolir a necessidade de apresentação de passaporte de vacinação para acessar locais de uso coletivo fechados na cidade. Isso vai acontecer quando 70% da população adulta tiver recebido as três doses da vacina contra a Covid-19. Neste momento, quase 57% dos moradores do Rio com 18 anos ou mais já receberam a dose de reforço do imunizante. Desde o início da pandemia, mais de 72 mil pessoas morreram em todo o Estado e metade foi na capital fluminense.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.