A palavra “Paulistinha” ficou nos assuntos mais comentados do Twitter na tarde desta quinta-feira, 31. A expressão ficou famosa, principalmente, quando o então presidente do Palmeiras, Mauricio Galiotte, assim classificou a conquista do Estadual corintiano, no Allianz Parque, em 2018, após a confusão de um pênalti não marcado a favor do Verdão. Desta vez, o termo não foi utilizado por nenhum palmeirense, mas foi recordado devido a uma declaração polêmica de Abel Ferreira. Em entrevista coletiva, o técnico do Alviverde disse que o Estadual ficou “inquinado” após o árbitro Douglas Marques das Flores assinalar uma penalidade a favor do São Paulo, na primeira final realizada ontem, no Morumbi.

“A eliminatória parte daqui condicionada. Uma coisa é não ter VAR, outra é ter VAR. O senhor Douglas [Marques] foi muito bem [na primeira decisão ao não marcar o pênalti], mas alguém quis ser protagonista. Quando há dúvidas, prevalece a decisão do árbitro. Tem que ser uma coisa escandalosa e o VAR estava a comer pipocas. Faça o que fizer, esse Paulista está inquinado”, exclamou Abel Ferreira, logo após o revés por 3 a 1 diante dos são-paulinos. No dicionário, a palavra “inquinado” significa “sujo”, “com manchas” e “poluído“. Vice-presidente do Alviverde, Paulo Buoisi também falou com a imprensa e afirmou que os responsáveis pelo apito interferiram no resultado final.

O motivo da reclamação palmeirense aconteceu já nos acréscimos do primeiro tempo do “Choque-Rei”, quando o placar ainda estava zerado. No lance em questão, o árbitro Douglas Marques das Flores primeiro não viu penalidade após a bola bater na mão do lateral-direito Marcos Rocha, do Verdão, em cruzamento de Alisson na área. No entanto, o juiz foi avisado por José Cláudio Rocha Filho, responsável pelo VAR, que informou que o movimento do atleta palmeirense foi “anti-natural”. Na cobrança, Jonathan Calleri não perdoou e abriu caminho para o triunfo tricolor, que contou com mais de 60 mil torcedores. Agora, para ficar com o  bicampeonato, os comandados de Rogério Ceni podem perder por até um gol de de diferença no Allianz Parque, no duelo derradeiro marcado para domingo, 3, a partir das 16 horas (de Brasília).

Assista ao lance abaixo e entenda a decisão da arbitragem

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.