A empresa farmacêutica norte-americana Moderna anunciou nesta quinta-feira, 27, o início dos primeiros testes em humanos da vacina contra o HIV. São 56 voluntários que farão parte da primeira fase de testes, que será dividida em três tipos: 48 participantes, todos negativos para o HIV, receberam uma ou duas doses da vacina; 32 voluntários desse primeiro grupo receberão uma dose extra reforçada da fórmula; e oito pessoas receberão apenas a dose reforçada. A vacina experimental é feita com a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que a farmacêutica Moderna utilizou para criar a sua vacina contra a Covid-19.

Técnicos da farmacêutica apontam que o composto utilizado estimula que células B do sistema imunológico e cria anticorpos capazes de neutralizar o HIV. O imunizante é desenvolvido por meio de parceria entre a farmacêutica, a iniciativa internacional pela vacina da AIDS e o Scripps Research Institute. O CEO da iniciativa, Mark Feinberg, afirmou em nota que ter novas ferramentas, em termos de imunógenos, pode ser a chave para um rápido progresso em direção à vacina eficaz e urgente contra o HIV. O início dos testes estava marcado para novembro do ano passado. Não houve uma explicação oficial para o atraso.

*Com informações do repórter João Vitor Rocha 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.