Lenda do boxe, Mike Tyson causou polêmica, nesta quarta-feira, 23, ao dizer que a morte de sua mãe, quando tinha apenas 16 anos, foi algo positivo para sua vida. Criado no Brooklyn, em Nova York, nos Estados Unidos, o campeão mundial explica que sua carreira não teria tanto sucesso caso não ficasse órfão. “Sabe, uma das melhores coisas que já aconteceu comigo é que minha mãe morreu. Porque minha mãe teria me criado. De jeito nenhum eu entraria em uma briga de rua. De jeito nenhum eu aprenderia a me defender”, disse em entrevista ao podcast “Club Shay Shay”.

Abandonado pelo pai aos dois anos e criado em um bairro violento, Mike Tyson associou-se a gangues locais ainda muito jovem e, mesmo antes de sua mãe morrer, já havia sido detido 38 vezes. “Eu nunca vi minha mãe feliz comigo e orgulhosa de mim por fazer algo. Ela só me conhecia como um garoto selvagem correndo pelas ruas, voltando para casa com roupas novas que ela sabia que eu não pagava. Eu nunca tive a chance de falar com ela ou saber sobre ela. Profissionalmente, não tem efeito, mas é esmagador emocionalmente e pessoalmente”, declarou Tyson, que foi entregue aos cuidados do treinador Cuz D’Amato depois do falecimento de sua mãe. “Aos 14 anos pensei que podia ser campeão do mundo. Ganhei campeonatos nacionais, tinha recordes de nocautes, perdi do eventual campeão. Assim que me tornei profissional, toda a minha vida mudou e venci todos os que me apareciam. E tudo voltou a mudar quando me tornei campeão”, acrescentou o ex-lutador, atualmente um empresário do ramo da cannabis para fins medicinais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.