Condenado em última instância na Itália por violência sexual em grupo, o atacante Robinho terá seu nome incluído na lista vermelha da Interpol. A justiça italiana anunciou nessa quinta-feira, 20, que vai emitir um pedido de prisão provisória para 195 países. O brasileiro, além de Ricardo Falco, seu amigo, também condenado no processo terão que começar a cumprir pena de nove anos de detenção. O crime cometido por Robinho aconteceu em 2013 em uma boate em Milão e a vítima foi uma mulher de origem albanesa, na época com 23 anos.

A emissão do pedido de prisão provisória que será feito pela Procuradoria Geral de Milão deve estar disponível em 29 dias. A partir do momento em que os nomes de Robinho e Falco estiverem na lista da Interpol, os dois podem ser presos se deixarem o Brasil para um desses 194 que também são signatários do Sistema Internacional de Captura. Mesmo condenados em última instância, os dois não poderão ser extraditados para Itália, já que a constituição de 1988 veta a extradição de cidadãos brasileiros. Após a emissão do pedido da corte italiana, a eventual homologação da pena no Brasil deverá ser examinada pelo Supremo Tribunal de Justiça (STJ).

*Com informações do repórter Victor Moraes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.