Nesta quinta-feira, 27, o programa Pânico recebeu o médico Roberto Zeballos. Na entrevista, ele criticou a obrigatoriedade do passaporte da vacina. “Quando vejo que uma vacina não está impedindo transmissão nem infecção, cai por terra qualquer raciocínio de passaporte sanitário. Isso é um ato de negligência. Me preocupa o que acontece com o tenista [Novak Djokovic] e medidas de outros países. Sua liberdade está em risco”, disse. O médico também se defendeu das acusações de negacionismo no tratamento para Covid-19. “Por que me chamam de negacionista? Estou fazendo meu trabalho, dei a cara para bater quando vi que o corticoide funcionava. A gente tem credibilidade, faço minha medicina por carinho e amor, nunca foi político”, afirmou.

Zeballos também defende que, além das vacinas, invista-se no desenvolvimento de remédios para tratar infectados por coronavírus. “As vacinas ajudaram demais, esvaziaram as UTIs, mas não podemos ficar apegados só a elas, temos que focar no tratamento. Não estou sozinho, fazemos com raciocínio. Estou trabalhando e vejo a galera pegando, todo mundo vacinado em cruzeiros pegando. Você tem que entender o problema com o qual está lidando. Tem alguns medicamentos que não são polêmicos, que funcionam”, disse. “O bichinho mudou tanto, que escapou da imunidade natural, da vacina nem se fala. Estou vendo a grande maioria de casos leves, o que não quer dizer que tem que descuidar”, completou, sobre a variante Ômicron.

Confira na íntegra a entrevista com Roberto Zeballos:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.