O diretor do laboratório alemão BioNTech, Ugur Sahin, afirmou nesta quinta-feira, 17, que o mundo está “cada vez mais preparado” para enfrentar as novas variantes da Covid-19 e que será necessário conviver com elas por pelo menos dez anos. “Outras variantes chegarão. O vírus continuará sofrendo mutações e já há outras variantes circulando no mundo”, disse Sahin. Em seguida, ele acrescentou que “aprendemos cada dia mais com elas e estamos cada vez mais preparados” e que “devemos aceitar o fato de ter que viver com o vírus pelos próximos dez anos”. O responsável pelo laboratório ainda afirmou que o mundo está chegando a uma fase “na qual a sociedade entende cada vez mais como enfrentar” o novo coronavírus. As afirmações foram feitas em entrevista à agência de notícias France Presse.

O laboratório BioNTech desenvolveu junto à gigante americana Pfizer a primeira vacina contra a Covid-19 com a tecnologia de RNA mensageiro, disponível no mercado e utilizada no Brasil. Atualmente, ele prepara um novo imunizante, adaptado à variante Ômicron. O novo recurso utilizará a tecnologia e capacidades do primeiro imunizante. Os dados de um ensaio clínico que está sendo realizado sobre a vacina adaptada à variante vão ser disponibilizados a partir de março. O diretor da BioNTech chegou a dizer ao jornal Bild que a nova vacina poderia começar a ser administrada em abril ou maio deste ano caso seja necessário.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.