O Corinthians emitiu uma nota nesta sexta-feira, 15, informando que acionou a Delegacia de Polícia de Repressão aos Delitos de Intolerância Esportiva (DRADE) para investigar um suposto caso de segregação e racismo, que teria acontecido na última quarta-feira, durante a vitória sobre o Deportivo Cali (Colômbia), na Neo Química Arena, pela segunda rodada da Copa Libertadores da América. O posicionamento do Timão acontece após um vídeo gravado pelo rapper Gustavo Sena, conhecido como Sena MC, viralizar nas redes sociais.

Nas imagens, o rapper diz que funcionários do Corinthians rasgaram ingressos de dois garotos que tentavam, sem sucesso, entrar na parte mais nobre do estádio, o Setor Oeste Business. “Por que os moleques favelados não podem entrar no estádio? Isso vai acontecer até quando? Não é o time do povo? Agora eu vou ter que comprar ingressos da mão de cambistas para os moleques”, diz Gustavo Sena na gravação.  O Alvinegro, por sua vez, diz que enviou as imagens para a polícia “a fim de que as investigações do incidente corram paralelamente às apurações internas.”

 

Confira a nota do Corinthians na íntegra:

O Sport Club Corinthians Paulista informa que separou as imagens referentes à denúncia feita nas redes sociais sobre a dificuldade de dois torcedores para entrar na Neo Química Arena antes do jogo entre Corinthians e Deportivo Cali, pela CONMEBOL Libertadores, na última quarta-feira (13).

As imagens foram entregues à Delegacia de Polícia de Repressão aos Delitos de Intolerância Esportiva (DRADE), a fim de que as investigações do incidente corram paralelamente às apurações internas.

Atenciosamente,
Sport Club Corinthians Paulista

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.