Ester é o nome do robô desenvolvido pelo departamento de Física da Universidade de São Paulo (USP). A função dele é sanitizar usuários de espaços com grande circulação de pessoas, é uma espécie de caixa de despoluição que funciona por comando de voz. A pessoa entra no equipamento e abre os braços para passar pelo processo de descontaminação. Todo processo de limpeza dura menos de 20 segundos. Ester funciona por inteligência artificial, usa sanitização a seco, com lâmpadas ultravioleta, o que impacta nada ao meio-ambiente. A máquina elimina qualquer rastro de vírus, fungos e bactérias em roupas, calçados e sola do sapato. Assim, os micro-organismos ficam inativos e não conseguem se propagar.

“Em 20 segundos consegue sanitizar até 99% de todos os vírus e bactérias, inclusive o coronavírus e suas variantes. Ela é muito importante para ser usada em ambientes como cinema, hotéis, hospitais, aeroportos, sala convenção. E é fundamental porque seria inócuo sanitizar um ambiente e não sanitizar os usuários. É uma atitude de responsabilidade civilizada do empresário com seus colaboradores e seus clientes e todos os visitantes de seus ambientes e seus espaços empresariais”, explica o inventor Roberto Dotta. O robô tem a mesma tecnologia usada para monitorar o comportamento de satélites em órbita. Fizeram parte do projeto pesquisadores com passagem pelo programa espacial brasileiro. A equipe garante que o robô é capaz de eliminar 99,9% de microrganismos como o coronavírus.

*Com informações da repórter Iasmin Costa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.