Quase 30 milhões de pessoas foram totalmente confinadas na China, em ao menos 13 cidades, além de outras em confinamento parcial, nesta terça-feira, 15, depois que o país registrou o maior surto de Covid-19 desde o início da pandemia. Foram confirmados 5.280 casos da infecção pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, de acordo com a Comissão Nacional da Saúde (CNS). A província de Jilin, no nordeste do país, foi a mais afetada, com mais 3 mil casos nesta terça. A capital provincial Changchum está em confinamento total. O governo determinou uma escala de testes que não era observada desde o início de 2020.

O país conseguiu conter as infecções após a primeira onda da doença no fim de 2019 na cidade de de Wuhan com restrições muito duras, e, enquanto o mundo vivia surtos alarmantes, conseguiu manter baixos números de infecções. Entretanto, nos últimos dias, vem enfrentando novos focos da doença, em razão da variante Ômicron. Esta terça é o sexto dia consecutivo em que o balanço de casos diários supera mil contágios. Os números registrados nos últimos dias ainda são baixos, se comparados a outros países, mas dentro da estratégia chinesa de “Covid-19 zero” até mesmo o menor foco é enfrentado com medidas severas. Desde o início da pandemia, a China registrou quase 120 mil casos de Covid-19 e teve 4.636 mortes. A última vítima fatal da doença foi registrada oficialmente no início de 2021.

*Com informações da AFP

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.