Nesta segunda-feira, 7, a CBF deu um passo importante contra a violência que tem tomado o futebol brasileiro. Durante a Assembleia Geral Extraordinária, que ratificou as mudanças feitas no estatuto da CBF, os cartolas iniciaram uma movimentação contra a violência nos estádios. Os dirigentes decidiram criar um grupo de estudos e convocar representantes de diferentes segmentos da sociedade para debater o tema. Por ora, essa é a medida mais efetiva tomada pela entidade para tentar diminuir os cenas de barbárie vistas neste início de temporada. Nas últimas semanas, cenas de violência foram registradas no entorno de diversos estádios do país. Jogadores foram atingidos por pedras e bombas na Bahia, no Rio Grande do Sul e em Pernambuco. Neste último domingo, 6, dois torcedores foram baleados em Belo Horizonte, antes do clássico Atlético-MG e Cruzeiro, e um morreu.

A criação de um grupo de estudos foi anunciada no início do encontro desta segunda-feira. “Por proposta dos clubes e da própria CBF, saímos com uma política de ter uma comissão que possa trazer seminários e debates envolvendo toda a sociedade”, disse o presidente interino da CBF, Ednaldo Rodrigues. “Não só os clubes da Série A, mas os clubes das Séries B, C e D, imprensa, OAB, STJD e todos os outros segmentos, inclusive internacionais (serão chamados), para que possamos trabalhar sempre no sentido de combater a violência nos estádios. Isso tem prejudicado muito o futebol em todo o mundo, principalmente nessas últimas situações aqui no Brasil”, sustentou Rodrigues.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.