A história de Fábio chegou ao fim no Cruzeiro. Na noite desta quarta-feira, 5, o clube mineiro anunciou a saída do goleiro depois de 17 anos de serviços prestados. “O ídolo que por tantos anos, tantos jogos e com tanta vida nos representou embaixo das traves, como se fosse cada um de nós da Nação Celeste, não estará mais ali, em campo”, escreveu o clube Fánas redes sociais. “Fábio foi sinônimo de dia de jogo, de disciplina, trabalho e entrega para e pelo nosso clube. Um profissional exemplar, líder nato, respeitado dentro e fora de campo”, diz o comunicado. O clube também divulgou um vídeo para se despedir do ídolo. Fábio tinha renovado seu contrato no fim de 2021, mas a nova gestão renegociou os acordos firmados. Em nota, o goleiro lamentou a saída.

“Tentei com todo meu coração permanecer no Cruzeiro. Sempre fui transparente e vocês saberão a verdade agora. Meu desejo é permanecer até dezembro de 2022. A renovação do meu contrato foi acertada com o clube, através do presidente Sérgio Rodrigues em novembro de 2021, que inclusive anunciou publicamente, faltando apenas as assinaturas dos documentos negociados”, disse Fábio. O jogador disse que até tentou reduzir seu salário. “Esta nova administração não me deu mais esta opção. Sempre estive pronto para ajudar o Cruzeiro, inclusive me readequando à nova realidade, o que já fiz em outros momentos de dificuldade do clube”, esclareceu.

Fábio chegou ao Cruzeiro em 2005, mas já tinha feito uma rápida passagem em 2000 quando foi emprestado pelo Atlético Paranaense. Ao todo foram 839 jogos com a camisa da Raposa e 860 gols sofridos. Se destacou pelos pênaltis defendidos (34 no total) e conquistou muitos títulos. Foi bicampeão do Brasileiro (2013 e 2014), tricampeão da Copa do Brasil (2000, 2017 e 2018), heptacampeão do Mineiro e levou um Campeonato de Verão, em 2009. Ganhou o prêmio de melhor goleiro do Brasileirão nos anos de 2010 e 2013, além da luva de ouro na Copa do Brasil em 2019.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.